domingo, 13 de junho de 2010

Simon Bolívar e a Independência da América Espanhola





Sihttp://www.mhttp://www.mundovestibular.com.br/content_images/1/historia/01/americaesp.gifundovestibular.com.br/content_images/1/historia/01/americaesp.gifmon Bolívar


Um dos maiores vultos da história latino-americana, Bolívar comandou as revoluções que promoveram a independência da Venezuela ,Colômbia, Equador, Peru e Bolívia. Simon José Antonio de la Santísima Trinidad Bolívar Palacios y Blanco nasceu na aristocracia colonial. Recebeu excelente educação de seus tutores e conheceu as obras filosóficas greco-romanas e as iluministas.

Aos nove anos, perdeu os pais e ficou a cargo de um tio. Este o enviou à Espanha, aos 15 anos, para continuar os estudos. Lá, Bolívar conheceu Maria Teresa Rodríguez Del Toro y Alayza, com quem casou em 1802. Pouco depois de terem voltado para a Venezuela, sua esposa morreu de febre amarela. Bolívar então jurou nunca mais casar.

Em 1804, retornou para a Espanha. Na Europa, presenciou a proclamação de Napoleão como imperador da França e perdeu o respeito por ele, considerando-o traidor das idéias republicanas. Após breve visita aos EUA, regressou para a Venezuela em 1807.

No ano seguinte, Napoleão provocou uma grande revolução popular na Espanha, conhecida como Guerra Peninsular. Na América, organizações regionais se formaram para lutar contra o novo rei, irmão de Napoleão.

Caracas declarou a independência, e Bolívar participou de uma missão diplomática à Inglaterra. Na volta, fez um discurso em favor da independência da América espanhola. Em 13 de agosto de 1811, forças patriotas, sob o comando de Francisco de Miranda, venceram em Valencia. Mas, no ano seguinte, depois de vários desastres militares, os dirigentes revolucionários entregaram Miranda às tropas espanholas.

Bolívar escreveu o famoso "Manifesto de Cartagena", sustentando que Nova Granada deveria apoiar a libertação da Venezuela. Em 1813, invadiu a Venezuela e foi aclamado Libertador. Em junho daquele ano, tomou Caracas e, em agosto, proclamou a segunda república venezuelana.

Em 1819, organizou o Congresso de Angostura, que fundou a Grande Colômbia (federação que abrangia os atuais territórios da Colômbia, Venezuela, Panamá e Equador), a qual nomeou Bolívar presidente. Após a vitória de Antonio José de Sucre sobre as forças espanholas (1822), o norte da América do Sul foi enfim libertado.

Em julho de 1822, Bolívar discutiu com José de San Martín a estratégia para libertar o Peru, mais ao sul. Em setembro de 1823, ele e Sucre chegaram a Lima para planejar o ataque. Em agosto de 1824, derrotaram o exército espanhol. No ano seguinte, Sucre criou o Congresso do Alto Peru e a República da Bolívia (assim batizada em homenagem a Bolívar). Em 1826, Bolívar concebeu o Congresso do Panamá, a primeira conferência hemisférica.

Em 1827, devido a rivalidades pessoais entre os generais da revolução, eclodiram guerras civis na Grande Colômbia. Em 25 de setembro de 1828, em Bogotá, Bolívar sofreu um atentado, conhecido como "conspiração setembrina", da qual saiu ileso graças à ajuda de sua companheira, Manuela Sáenz. Com a guerra civil de 1829, a Venezuela e a Colômbia se separaram; o Peru aboliu a Constituição boliviana; e a província de Quito tornou-se independente, adotando o nome de Equador.

Acuado e tuberculoso, o Libertador morreu no ano seguinte, aos 47 anos.

Bibliografia:

http://educacao.uol.com.br/biografias/ult1789u276.jhtm

A Independência da América Espanhola

A independência da América espanhola está relacionada às transformações que ocorreram no século XVIII na Europa e que levaram à ruína o Absolutismo.

A independência das colônias inglesas na América do Norte, a Revolução Industrial, o Iluminismo e a Revolução Francesa causaram um grande impacto na América Espanhola.

Entre o final do século XV e o inicio do século XVI, a Espanha constituiu na América um imenso império colonial, riquíssimo em metais preciosos e que, até o final do século XVIII, foi a principal fonte de sustento da Coroa espanhola. A Coroa dividiu a administração em quatro vice-reinos; Nova Granada, Nova Espanha, Rio do Patra e Peru. Junto foram criadas quatro capitanias com função de defesa: Guatemala, Chile, Cuba e Venezuela.

O Pacto Colonial visava permanecer com o monopólio comercial através de uma série de limitações comerciais e de algumas obrigações por parte da colônia. Em meados do século XVIII, a riqueza das colônias espanholas já não era a mesma. Em séculos anteriores sugou praticamente toda riqueza de algumas regiões.

A Espanha tornou-se grande devedora da Inglaterra e da França, pois importava produtos, já que seu desenvolvimento industrial era atrasado.
Para contornar a situação, a Coroa espanhola, aumentou os impostos e restringiu ainda mais o comércio colonial. Tais medidas desagradaram os colonos, em especial os criollos. Além dessas restrições econômicas, os criollos também eram proibidos de tomar decisões políticas, pois o controle estava nas mãos dos Chapetones.

No século XIX, ocorreram diversas transformações no continente americano. As colônias espanholas e o Brasil se transformaram em Estados nacionais. Simultaneamente, os Estados Unidos se expandiram para o Oeste, enfrentaram uma violenta guerra civil, conhecida como Guerra da Secessão e, por fim, estabeleceram o seu domínio na América Latina.

No século XIX, houve o início do processo de descolonização da América Latina, levando à formação de Estados independentes, cujo modelo econômico era o agrário-exportador. Pouco antes da emancipação das colônias espanholas, a sociedade colonial se apresentava rigidamente hierarquizado, onde o nascimento, a tradição e a riqueza definiam a posição social do indivíduo.

A elite colonial, dividia-se em:

Criollos – eram descendentes de espanhóis nascidos na América.
Chapetones – eram pessoas nascidas na metrópole e que possuíam todos os privilégios e ocupavam os altos cargos administrativos.
Camada intermediária – era formada por comerciantes, advogados, médicos, professores, artesãos, etc.
Camada dominada – era formada pela grande maioria da população.

Bibliografia:

http://www.historiadomundo.com.br/idade-contemporanea/independencia-da-america-espanhola.htm

21 comentários:

  1. Eu gostei bastante dessa pesquisa! Está bem resumida, mas com os pontos mais importantes...

    E eu n sabia que por causa de Simon Bolivar nós temos um país chamado Bolívia.

    ResponderExcluir
  2. Eu que n queria viver em um pais socialista, prefiro o capitalista q é bem mais justo !

    ResponderExcluir
  3. Simon Bolivar-Bolivia! Nem sabia disso

    ResponderExcluir
  4. Adorei sua pesquisa,interessante e objetiva...

    ResponderExcluir
  5. nossa!!!! sua pesquisa ficou bem detalhada

    ResponderExcluir
  6. gostei muito da divisão da elite colonial q vs pois no fim do texto me ajudou bastante a entender o texto obg!

    ResponderExcluir
  7. Gostei, essa independencia foi otima para nosso continente.

    ResponderExcluir
  8. A vida desse Simon Bolivar foi agitada ein? Varios conflitos e varios tratados uuuh..

    ResponderExcluir
  9. noosaa, depois de toda essa vida, Bolivar morreu de tuberculose e com apenas 47 anos.

    ResponderExcluir
  10. Ui, essas guerras na colombia devem ter sido muito sangrentas hein?

    ResponderExcluir
  11. parece que simon bolivar foi bem importante na historia da latinoamerica

    ResponderExcluir
  12. noosa n sabia q a rev industrial, rev. francesa, iluminismo tinham haver com issu q legal.

    ResponderExcluir
  13. concordo com o bebe boiola, Simon Bolivar foi uma figura importamnte pra a america latina

    ResponderExcluir
  14. ei n sabia que a Europa tinha algo haver com a america.

    ResponderExcluir
  15. Parece q Bolivar foi muito importante pois realizou varios tratados e congressos.

    ResponderExcluir
  16. Legal n sabia q a Espanha jah tinha dominado a America.

    ResponderExcluir
  17. Bom, achu q Simon morreu cedo mais ele deixou sua marca como "O Libertador" gostei de sua historia.

    ResponderExcluir
  18. concordo com esse post anteror achu que ele foi um grande libertador da america latina.

    ResponderExcluir
  19. simon bolivar merece um espaço nas nossas memorias

    ResponderExcluir
  20. parece q ele foi muito importante para a america msm neh?

    ResponderExcluir
  21. Bom, fiz o meu trabalho cm a ajuda deste blog,quem fez este texto sobre esse grande nome da história, dou os meus votos e os parabéns!

    ResponderExcluir